ESQUECEU SEUS DADOS?

PERGUNTAS E RESPOSTAS

1.1. Sobre a Comissão de Doutrina, Fé e Ética

Compreende uma comissão de pastores, constituída por revelação do Senhor para deliberar sobre as questões relativas à doutrina da Igreja Cristã Maranata.

A Comissão de Doutrina, Fé e Ética (CDFE) tem por objetivo preservar as doutrinas da Obra do Espírito Santo e a sua disseminação para os ministérios e unidades eclesiásticas, promovendo a unificação doutrinária e ministerial.

Por meio do Grupo de Trabalho de Crianças, Intermediários e Adolescentes, a CDFE irá promover o aperfeiçoamento contínuo deste trabalho.

  • Reforçar o ensino das crianças, intermediários e adolescentes, implementado em 1984 e unificado em 1997, por revelação do Senhor.
  • Padronizar o material enviado para as igrejas para o ensino das classes de crianças, intermediários e adolescentes, enfatizando os cinco eixos doutrinários da Obra do Espírito Santo: Palavra Revelada; O Sangue de Jesus; Igreja, Corpo de Cristo, Fé e Salvação.
  • Elaborar o planejamento semestral das aulas e assuntos a serem ministrados para as classes.
  • Sistematizar a disseminação do ensino:
  1. Por meio de reuniões e seminários transmitidos via satélite para pais e ministérios.
  2. Pelo preparo das aulas e capacitação dos professores das classes, por meio de reuniões e seminários transmitidos por satélite.
  • Elaborar as diretrizes e definir os assuntos dos seminários do mês de março e das evangelizações do mês de Outubro, envolvendo crianças, intermediários e adolescentes.
  • Promover a realização de seminário presencial para adolescentes, com a padronização das aulas e preparação do material para ministração local pelas regiões.

Promover a utilização dos Maanains para a realização das reuniões de crianças, intermediários e adolescentes, especialmente no mês de Março.

Por meio do Grupo de Trabalho de Crianças, Intermediários e Adolescentes, a CDFE irá promover o aperfeiçoamento contínuo deste trabalho.

A CDFE, no que tange ao trabalho de Crianças, Intermediários e Adolescentes, é formada por um grupo de pastores de diversas regiões do Brasil, e por grupos regionais de trabalho formados por professoras das diversas classes, as quais participam do trabalho de confecção das aulas.

Todo o trabalho é revisado pelos pastores antes de ser distribuído.

Os trabalhos foram iniciados em 01/09/2015, quando as aulas, slides, folhas das aulas de setembro de 2015 foram disponibilizados no site do satélite (www.satelitemaranata.org.br). Em 08/08/2016, foi criado pelo Instituto Bíblico Educacional Maranata um site específico para divulgação do trabalho de crianças, intermediários e adolescentes, onde é disponibilizado todo o material para trabalhar com as classes (http://sites.institutoicm.org.br/cias/).

A Comissão de Doutrina, Fé e Ética (CDFE), no que tange ao trabalho de Crianças, Intermediários e Adolescentes, é formada por um grupo de pastores de diversas regiões do Brasil, e por grupos regionais de trabalho formado por professoras das diversas classes. Os Grupos de Trabalho das diversas regiões do Brasil participam do trabalho de confecção das aulas, sendo o planejamento, avaliação e revisão doutrinária é realizado pelos pastores da CDFE.

1.2. Sobre os assuntos do trabalho de crianças, intermediários e adolescentes

Os assuntos a serem levados às classes são definidos, conforme orientação do Senhor, dentro dos 5 eixos doutrinários (Palavra Revelada; O Sangue de Jesus; Igreja, Corpo de Cristo, Fé e Salvação), pela Comissão de Doutrina, Fé e Ética.

As aulas serão ministradas presencialmente pelas próprias professoras da Escola Bíblica Dominical do trabalho de crianças, intermediários e adolescentes.

Para tanto, o material necessário para as aulas (estudos, slides e folha) será disponibilizado antecipadamente pela Comissão de Doutrina, Fé e Ética.

Sim. Os assuntos a serem levados às classes são definidos, conforme orientação do Senhor, dentro dos 5 eixos doutrinários (Palavra Revelada; O Sangue de Jesus; Igreja, Corpo de Cristo, Fé e Salvação) pela Comissão de Doutrina e serão unificados para toda a Obra.

O planejamento semestral será realizado pela Comissão de Doutrina, Fé e Ética. Todo o material relativo à ministração das aulas para cada mês será enviado antecipadamente para o devido preparo das professoras.

Não, o envio será mensal. A Comissão de Doutrina, Fé e Ética fará o planejamento semestral das aulas, sendo que todo o material relativo à ministração das aulas será disponibilizado  antecipadamente no site http://sites.institutoicm.org.br/cias/, com o estudo completo de cada mês, para o devido preparo das professoras.

A preocupação do Espírito Santo é de uniformizar a doutrina em toda a Sua Obra. Para tanto, os assuntos a serem levados às classes são definidos, conforme orientação do Senhor, dentro dos 5 eixos doutrinários (Palavra Revelada; O Sangue de Jesus; Igreja, Corpo de Cristo, Fé e Salvação), pela Comissão de Doutrina.

Entretanto, em determinados meses, quando houver um 5º domingo, o assunto para a Escola Bíblica Dominical de Crianças, Intermediários e Adolescentes ficará à cargo da igreja local.

A Comissão de Doutrina, Fé e Ética também disponibilizará sugestões de assuntos para a ministração das aulas.

A apostila tem a função de trazer orientações gerais acerca do trabalho e seu funcionamento. Os assuntos a serem levados para as classes são divulgados pela Comissão de Doutrina, Fé e Ética antecipadamente, para cada mês do ano.

A Comissão de Doutrina, Fé e Ética disponibiliza antecipadamente a programação e o material para a ministração das aulas do mês. Quando houver a ocorrência de aula local, será informado em circular para todas as igrejas.

1.3. Sobre o material a ser disponibilizado

O material doutrinário tem por objetivo auxiliar os professores para a ministração das aulas da Escola Bíblica Dominical e será disponibilizado antecipadamente para as igrejas.

O material para os estudos das classes conta com:

  • Aulas escritas.
  • Slides para apoio à aula.
  • Folha de distribuição para as classes.
  • Sugestão mensal de lembrancinha (a confecção é opcional).

A folha distribuída traz um resumo do ensino dado na aula e será distribuída aos alunos. Poderá ser afixada no caderno de cada um dos alunos para que os pais também possam acompanhar o ensino ministrado.

As professoras receberão mensalmente as aulas escritas, slides e uma folha para ser distribuída às classes. Caberá às professoras buscar do Senhor a graça para transmitir a aula. Para tanto é preciso oração, busca e santificação. Está sendo disponibilizado, ainda, uma sugestão mensal de lembrancinha, como apoio adicional ao material, não sendo obrigatória a confecção da mesma.

A folha distribuída traz um resumo do ensino dado na aula e será distribuída aos alunos. Poderá ser afixada no caderno de cada um dos alunos, para que os pais também possam acompanhar o ensino ministrado.

As apresentações em slides são um recurso maravilhoso para que as classes memorizem melhor o ensino, tendo em vista que os slides tratam de material didático visual, que facilita o aprendizado das classes.

Mas, lembramos, que o mais importante é que o professor estude bem o tema a ser ministrado e busque do Senhor a graça no momento de passar a aula, sempre utilizando linguagem adequada à sua classe.

Será feita uma aula escrita padrão para todas as classes, porém o professor de cada classe deverá adaptar a linguagem da aula para a sua classe específica. Em determinados estudos, dependendo da especificidade do assunto, poderá ser elaborada uma mensagem para cada classe.

Quanto aos slides, em regra geral, será feita uma apresentação para a classe de crianças e intermediários e outra apresentação para a classe de adolescentes. Em determinados estudos, poderá ser feita uma apresentação para cada classe.

Quanto às folhas, em regra geral, será feita uma folha para a classe de crianças e outra folha para a classe de intermediários e adolescentes. Em determinados estudos, poderá ser feita uma folha para cada classe.

A distribuição oficial de todo o material para as aulas é realizada através do site do Instituto Bíblico Educacional Maranata (http://sites.institutoicm.org.br/cias/). No site é disponibilizado um link para download do material, uma vez que trata-se de arquivos grandes.

Não há nenhuma restrição em efetuar a redistribuição do material, entretanto, requer-se um zelo quanto à manutenção da integridade do material, o qual foi elaborado e revisado à luz da doutrina bíblica professada pela Igreja Cristã Maranata. A distribuição de outros materiais complementares para o estudo, não avaliados pela Comissão de Doutrina, Fé e Ética, tais como imagens, slides, figuras, lembrancinhas, podem causar dúvidas e, muitas vezes, distorções doutrinárias propagadas para as classes.

Os slides estão na ordem de apresentação da aula e são um recurso visual que contém os principais pontos da aula. A retirada de parte dos slides poderá concorrer para que haja prejuízo no ensino ministrado para as classes. Assim, o professor não pode retirar slides da aula.

O material enviado pela CDFE não deve ser alterado pelo ministério local. Caso seja observado algum ponto a ser melhorado ou algum erro no material, solicitamos o envio desta notificação para a CDFE por meio da caixa postal comissaodedoutrina@presbiterio.org.br. A CDFE se coloca à disposição para esclarecer às professoras e aos ministérios quaisquer aspectos relativos ao material disponibilizado, bem como para receber sugestões para o aperfeiçoamento do trabalho.

Os áudios das aulas dos estudos de crianças, intermediários e adolescentes podem ser baixados juntamente com o material do estudo do mês disponibilizado no site http://sites.institutoicm.org.br/cias/, ou na Rádio Maanaim (www.radiomanaim.com.br), no Quadro “Encontro com Professores”.

1.4. Sobre o funcionamento das classes

A definição das classes foi dada por revelação do Senhor e está descrita na apostila. O Senhor mostrou por meio de uma visão, três caixas de água de tamanhos diferentes, e a água corria da menor para a do meio e desta para a maior. O discernimento dado foi que havia a necessidade de três classes de idades diferentes para receberem as aulas com proveito.

1ª classe: Crianças

Formação da classe: Crianças do 3º aniversário até o 7º aniversário.

2ª Classe: Intermediários

Formação da classe: Crianças maiores, do 7º aniversário até o 11º aniversário.

3ª Classe: Adolescentes

Formação da classe: Adolescentes do 11º aniversário até o 15º aniversário.

Após o 15º aniversário, os adolescentes são promovidos à classe de jovens.

O item “2.3. HORÁRIO DAS AULAS” da apostila de “Orientações para o ensino da Palavra às crianças, intermediários e adolescentes”, Edição Agosto 2017, deixa a critério do pastor a definição do horário da aula dos adolescentes, quando não há três salas, conforme transcrito abaixo:

“Para atender às revelações do Senhor para o ensino da Palavra para crianças, intermediários e adolescentes, o ideal é que todos os templos tenham três salas de aula e, assim, as três classes se reúnem para suas aulas na mesma hora, no culto de domingo pela manhã.

Há vários benefícios em seguir esta orientação, como o fato de que a família inteira virá junta para o culto. Assim, os pais ou responsáveis não precisarão trazer seus filhos para aulas em horários diferentes dos horários normais dos cultos.

Nas igrejas que não possuem ainda salas para as três classes, os adolescentes terão suas aulas em outro horário, a critério do pastor e de acordo com a realidade local. Toda a igreja deve orar para que o Senhor dê condições para a construção das três salas.”

Como sugestão, pode-se fazer a reunião após o culto de segunda-feira, por ser mais curto. Os adolescentes podem participar do início do culto (1º louvor) e em seguida se dirigirem às salas. O ministério local deverá ser consultado para orientar a melhor forma.

Conforme consta do item "2.2 O CULTO DA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL" da apostila de “Orientações para o ensino da Palavra às crianças, intermediários e adolescentes”, Edição Agosto 2017: " O culto da Escola Bíblica Dominical inicia-se com as três classes em seus devidos lugares no templo. Todos se ajoelham e clamam pelo sangue do Senhor Jesus. Após o primeiro hino e imposição de mãos, as classes saem e vão para suas salas de aula, onde terão seu próprio período de louvor." 

Caso haja poucas crianças e intermediários ou haja anexo que comporte as duas classes, não há nenhum impedimento de que se realize o período de louvor com as duas classes juntas. Porém, no momento da ministração da Palavra, as duas classes se separam, ainda que haja presença de poucas crianças e intermediários. Assim, a ordem correta é: primeiro o período de louvor (são dadas sugestões de louvores ao final de cada aula) e depois a ministração da Palavra. Salientamos que o período de louvor não pode comprometer o tempo de ministração da Palavra.

Conforme consta do item "2.2 O CULTO DA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL" da apostila de “Orientações para o ensino da Palavra às crianças, intermediários e adolescentes”, Edição Agosto 2017: " O culto da Escola Bíblica Dominical inicia-se com as três classes em seus devidos lugares no templo. Todos se ajoelham e clamam pelo sangue do Senhor Jesus. Após o primeiro hino e imposição de mãos, as classes saem e vão para suas salas de aula, onde terão seu próprio período de louvor." 

Caso haja anexo que comporte as duas classes, não há nenhuma objeção de se realizar o período de louvor com as duas classes juntas. Porém, no momento da ministração da Palavra, as duas classes se separam, ainda que haja presença de poucas crianças e intermediários. Salientamos que o período de louvor não pode comprometer o tempo de ministração da Palavra.

1.5. Os cultos e as classes

Conforme item “2.1. LUGAR DAS TRÊS CLASSES NO TEMPLO” da apostila de “Orientações para o ensino da Palavra às crianças, intermediários e adolescentes”, Edição Agosto 2017, os adolescentes têm seu lugar logo atrás da classe dos intermediários.

O item acima mencionado ainda prevê que, a critério do ministério local, a classe de adolescentes poderá ser mantida atrás do Grupo de Louvor, caso nesse local eles fiquem mais integrados ao culto.

As questões que divergem desta orientação devem ser tratadas junto ao ministério local.

Não há nenhuma orientação neste sentido. As crianças fazem o clamor junto com a igreja.

Não haverá aula para as classes de crianças, intermediários e adolescentes quando houver a ceia no domingo pela manhã.  A ceia é um culto festivo e a participação, não somente das classes, mas também das professoras é fundamental. Neste caso, a aula poderá ser reposta em outro dia, conforme definição do ministério local.

A imposição de mãos para as classes pode ser realizada após o hino de clamor entoado pela igreja, ou no retorno das classes para o templo, ficando esta definição a critério do pastor.

1.6. Sobre a reunião de professores e a preparação das aulas

A apostila orienta quanto a realização de uma reunião quinzenal com as professoras. Nesta reunião o diácono responsável deve fazer uma imposição de mãos sobre o grupo.

O assunto deve ser levado ao ministério para a avaliação, uma vez que a presença do diácono nas reuniões é fundamental.

Prevalecem as orientações da apostila revisada de 2017. É importante que todas as irmãs sejam usadas para o ensino, e também estejam preparadas para uma eventual substituição. Para tanto, a alternância a cada aula é recomendada na apostila.

Não há escala para auxiliares. A escala é composta apenas pelas professoras das classes, levantadas pelo Espírito Santo para a realização do trabalho.

O item “3.5.1. A REUNIÃO QUINZENAL” da apostila de “Orientações do trabalho de Crianças, Intermediários e adolescentes”, Edição Agosto 2017, especifica dois pontos a serem observados:

“a. Os professores de cada classe se alternam para dar aula e para as demais funções na classe. Normalmente é feita uma escala.

Observação: Não existe escala para auxiliares. Os professores levantados para as classes são responsáveis por todas as atividades do trabalho de crianças, intermediários e adolescentes.”

Não há um tempo determinado, porém não é recomendável que a professora iniciante, levantada pelo Espirito Santo, permaneça muito tempo no grupo sem participar da escala de aulas.

O item “3.3. QUANTIDADE E ATUAÇÃO DOS PROFESSORES NAS CLASSES” da Apostila de “Orientações para o Ensino da Palavra às crianças, intermediários e adolescentes”, Edição Agosto 2017orienta que: “Um professor novo deve assistir às reuniões de professores e às aulas das classes por um período (de preferência, um estudo inteiro), antes de assumir a classe, entrosando com o grupo de professores e com os alunos.”

Não. O item “3.5.1. A REUNIÃO QUINZENAL” da apostila de “Orientações do trabalho de Crianças, Intermediários e adolescentes”, Edição Agosto 2017, orienta que:

“a. Os professores de cada classe se alternam para dar aula e para as demais funções na classe. Normalmente é feita uma escala.

Observação: Não existe escala para auxiliares. Os professores levantados para as classes são responsáveis por todas as atividades do trabalho de crianças, intermediários e adolescentes.”

É importante que todas as irmãs sejam usadas para o ensino, e também estejam preparadas para uma eventual substituição. Para tanto, a alternância a cada aula é recomendada na apostila.

Conforme consta do item “3.5.1. A REUNIÃO QUINZENAL” da apostila de “Orientações para o ensino da Palavra às crianças, intermediários e adolescentes”, Edição Agosto 2017, a reunião de professores de crianças, intermediários e adolescentes é separada da reunião de professores de jovens, uma vez que os assuntos e necessidades para o trabalho de CIA´s são específicos.

1.7. Os professores e as demais funções da igreja

O item “2.1. LUGAR DAS TRÊS CLASSES NO TEMPLO” da apostila de “Orientações para o ensino da Palavra às crianças, intermediários e adolescentes”, Edição Agosto 2017, mostra a necessidade da priorização ao atendimento às classes pelas professoras, conforme a seguir:

“Os professores de crianças, intermediários e adolescentes sempre se assentam no meio do banco com seus alunos. Ficam atentos em todo o tempo, inclusive nas orações, vendo a participação dos alunos durante o culto e, o mais discretamente possível, alertam algum aluno distraído a voltar à comunhão.”

A participação da professora das classes de crianças, intermediários e adolescentes no Grupo de Louvor deve ser avaliada pelo ministério. Há igrejas, em salões, onde as irmãs são usadas tanto no grupo de louvor quanto como professoras, por motivo de carência. Todavia, caberá ao ministério administrar esta questão para que as classes não sejam prejudicadas.

O ministério deve priorizar a distribuição das professoras para o melhor atendimento às classes. 

Conforme item “2.1. LUGAR DAS TRÊS CLASSES NO TEMPLO” da apostila de “Orientações para o ensino da Palavra às crianças, intermediários e adolescentes”, Edição Agosto 2017, mostra a necessidade da priorização ao atendimento às classes pelas professoras, conforme a seguir: “Os professores de crianças, intermediários e adolescentes sempre se assentam no meio do banco com seus alunos. Ficam atentos em todo o tempo, inclusive nas orações, vendo a participação dos alunos durante o culto e, o mais discretamente possível, alertam algum aluno distraído a voltar à comunhão.”

Portanto cabe ao pastor, com os “recursos” que a igreja possui, procurar distribuir as funções da melhor maneira possível, sem prejuízo para as classes.

O tempo de retorno deverá ser objeto de avaliação do ministério, em função de vários fatores, tais como, recuperação da irmã, condição para que o bebê seja cuidado durante o momento que a irmã estiver se dedicando ao trabalho das classes, condição de assiduidade da irmã, dentre outros. Entretanto, não é recomendado um retorno antes de 3 meses, para que se dê toda a condição da irmã se restabelecer e ajustar os detalhes necessários para o cuidado da criança.

1.8. Cuidados a serem tomados na confecção de materiais e elaboração de dinâmicas

A utilização de fotos ou imagens para ilustração das aulas têm sido objetivo de avaliação cuidadosa pela Comissão de Doutrina, Fé e Ética.

A inserção de fotos de pessoas (adultos ou crianças) nos materiais a serem distribuídos para as classes podem trazer consequências quanto ao direito de imagem das pessoas fotografadas.

A Comissão de Doutrina, Fé e Ética recomenda a não utilização de fotos nos trabalhos a serem distribuídos para as classes.

A utilização de imagens para ilustração das aulas têm sido objetivo de avaliação cuidadosa pela Comissão de Doutrina, Fé e Ética.

A seleção das imagens para inserção nos materiais distribuídos para as classes deve ser feita com muito cuidado.

Imagens obtidas via internet, muitas vezes podem conter distorções que podem gerar dúvidas e dificuldades às classes de crianças, intermediários e adolescentes.

A Comissão de Doutrina, Fé e Ética está estruturando um banco de imagens para a utilização nos materiais para as classes que será disponibilizada futuramente aos professores de crianças, intermediários e adolescentes.

A representação humana de figuras bíblicas nos estudos induz às classes à valorização da figura humana dos servos do passado. Desta forma, não devem ser inseridas imagens humanas representando apóstolos, Jesus, etc. A utilização de corações é feita no lugar. Será disponibilizado, em breve, um repositório de imagens para serem usadas pelas professoras das classes.

A Obra do Espírito Santo tem nos dado recursos espirituais, os quais dispensam apresentações teatrais. Lembramos que as aulas das classes compreendem um culto de adoração ao Senhor e para tanto, a reverência e o temor devem estar presentes.

A representação através de figuras de personagens bíblicos nominados (Ex.: Davi, Sansão, Samuel, etc.) nos estudos induz as classes à valorização da figura humana dos servos do passado e, portanto, não deve ser utilizada. A utilização de corações é feita no lugar das figuras humanas dos personagens bíblicos nominados.

Recomendamos cuidado no uso de figuras (sobretudo aquelas divulgadas na internet) para não trazer nenhuma dificuldade ao ensino ministrado para as classes. O uso excessivo de figuras também pode desviar a atenção do objetivo maior da aula: a experiência com o Espírito Santo.

A Obra do Espirito Santo tem nos dado recursos espirituais, os quais dispensam brincadeiras com o intuito de divertir as classes, bem como apresentações teatrais (fantoches, peças de representação teatral, etc.). Lembramos que as aulas das classes compreendem um culto ao Senhor e para tanto, o temor e a reverência fazem parte do contexto de adoração a Deus. 

As dinâmicas em sala são permitidas, desde que não comprometam o ensino a ser ministrado e que sejam dadas ao término da aula. Os cuidados acima mencionados também deverão ser tomados. A dinâmica consiste em mostrar um exemplo prático, com o objetivo de fixar o ensino da Palavra de forma genuína, sem qualquer desvirtuamento. Também devem trazer exemplos simples e de fácil compreensão para as classes. 

O exemplo de dinâmica da caixinha de segredos é excelente para que a professora explique para as classes que Deus revela os Seus segredos somente para os Seus servos. Outro exemplo de dinâmica para fixação do ensino é a maquete com a casa escura, onde ninguém enxerga nada, e quando se acende a luz da casa, a verdade é revelada, pois podemos ver tudo que está na casa. Logo após, se traz o exemplo prático que Jesus é a Luz do mundo e Ele nos revela a verdade. Outra opção de dinâmica, é ao final de uma aula que abordou sobre oração, que se faça uma rodinha com as classes e peça que um ore pelo outro. Assim, eles vão aprender na prática, acerca da oração.

Ressaltamos que o material de apoio enviado pela Comissão de Doutrina é elaborado e revisado com o objetivo de se transmitir, de forma clara e objetiva às classes, a doutrina nos dada pelo Espirito Santo.

Outros materiais complementares, tais como cartazes, maquetes ou colagens, poderão ser utilizados como complemento à aula, porém sempre tendo como base o material enviado. A Comissão de Doutrina, Fé e Ética (CDFE) foi instituída pelo Senhor para preservar a doutrina do Espirito Santo no nosso meio. Desta forma, não recomendamos a substituição do material enviado pela CDFE por outros materiais elaborados na própria igreja, pois o risco de diluição doutrinária poderia comprometer os resultados e objetivos do Espírito Santo, com prejuízo para as classes.

1.9. Sobre a apostila de orientações do trabalho

A apostila contém as orientações gerais do trabalho de crianças, intermediários e adolescentes. É uma fonte de consulta para o preparo e ministração das aulas. Nela se encontra os assuntos referentes ao culto da escola bíblica dominical, a promoção de classes, aspectos sobre a reunião de professores e outros pontos importantes para o trabalho.

1.10. Sobre o louvor e a instrumentalidade das classes

As classes de crianças e intermediários devem possuir um momento especial no culto para cantarem, de forma independente da classe dos adolescentes.

É recomendado que as classes de crianças e intermediários tenham a oportunidade de louvar ao Senhor todos os dias. Entretanto, caso não haja possibilidade das classes de crianças e intermediários e a classe de adolescentes cantarem em um mesmo culto, poderá ser feito, a critério do ministério, uma escala diária com a alternância das classes para o louvor no culto.

Os adolescentes devem ter um momento especial no culto para cantarem. Podem cantar com as demais classes.

Os adolescentes que tocam instrumentos podem fazer o acompanhamento (desde que saibam tocar), junto com os demais instrumentistas, dos hinos cantados pelas classes de crianças e adolescentes, bem como dos demais louvores cantados pela igreja (desde que seja feita escala de revezamento, definida pelo ministério).

Os adolescentes não necessitam mudar de lugar no templo para cantarem. A orientação da apostila quanto ao lugar dos adolescentes prevalece.

Os adolescentes que tocam instrumentos podem participar dos hinos cantados pelas classes (desde que saibam tocar), junto com os demais instrumentistas. Caberá ao ministério providenciar uma escala, definindo o dia em que eles devem tocar. Deve-se ter o cuidado, entretanto, para que não sejam cobrados quanto ao atendimento da escala, para que não haja constrangimento.

O microfone é utilizado no momento da oração das crianças e intermediários e não para os mesmos cantarem louvores.

Conforme consta do item “2.4. ORAÇÃO E LOUVOR NO MOMENTO DO CULTO” da apostila de “Orientações para o Ensino da Palavra às Crianças, Intermediários e Adolescentes”, Edição Agosto 2017: “O microfone é utilizado no momento da oração das crianças e intermediários e não para os mesmos cantarem hinos. Crianças, intermediários e adolescentes não fazem solo nos cultos. Eles não estão preparados para esse tipo de exposição.”

Os adolescentes não devem ser usados à frente das madrugadas, nem mesmo as madrugadas especiais do mês de março, conforme definido pela circular enviada para o mês de março de 2015 a qual define que: “Cada Igreja definirá quais os dias em que as crianças e adolescentes irão participar das madrugadas e dos cultos ao meio-dia (não dirigir as reuniões), tendo toda liberdade para orarem pelas aulas, pelos cultos e pelos convites que serão feitos.”

O item “2.4. ORAÇÃO E LOUVOR NO MOMENTO DO CULTO” da apostila de “Orientações para o Ensino da Palavra às Crianças, Intermediários e Adolescentes”, Edição Agosto 2017 oriente que: “Não há nenhuma restrição quanto aos instrumentos utilizados durante o louvor das classes de crianças, intermediários ou adolescentes. No entanto, é preciso que haja o cuidado para os instrumentos não abafarem as vozes e instrumentos deles quando cantarem. É preciso que os instrumentos sejam tocados com suavidade. As vozes das classes deverão sobressair sempre.”

Os adolescentes e intermediários poderão trazer uma palavra nas visitas efetuadas para outros intermediários ou adolescentes. Deve-se dar liberdade para que eles apenas possam ler a Palavra, orarem, glorificarem, sem a necessidade de pregarem. Eles não devem ser constrangidos a serem usados nas visitas.

Conforme consta do item “2.4. ORAÇÃO E LOUVOR NO MOMENTO DO CULTO” da apostila de “Orientações para o Ensino da Palavra às Crianças, Intermediários e Adolescentes”, Edição Agosto 2017: “O microfone é utilizado no momento da oração das crianças e intermediários e não para os mesmos cantarem hinos. Crianças, intermediários e adolescentes não fazem solo nos cultos. Eles não estão preparados para esse tipo de exposição.”

Conforme consta do item “3.6.9. O JEJUM E A CLASSE DE ADOLESCENTES” da apostila de “Orientações para o ensino da Palavra às crianças, intermediários e adolescentes”, Edição Agosto 2017, os adolescentes estão dispensados de fazer jejuns até que sejam promovidos para a classe de jovens.

Todos os louvores da coletânea de CIA´s podem ser cantados por todas as classes. Porém, alguns cuidados devem ser tomados, pois a classe de adolescentes não se identifica com corinhos com letras muito infantis (Ex: Eu sou uma ovelhinha de Jesus (24), Sou uma criança feliz (26)). Por outro lado, os adolescentes têm preferência por louvores com mais arranjos e com letras mais maduras (Ex: Jesus voltará pra me buscar (170), Os dias estão passando (171), No princípio era o Verbo (119), Jesus é a nossa vitória (192), Jesus Cristo é o Amado (46), Onde quer que tu fores irei Jesus (23), Tu és o Cristo (61), Te suplico ó Deus (13), Assim, esses cuidados deverão ser tomados no momento da escolha do louvor a ser ensaiado pela classe de adolescentes.

1.11. Sobre a promoção das classes

As promoções das classes ocorrem duas vezes por ano: em março e agosto.

O item “2.6.5. DIPLOMAS, PREMIAÇÕES, LEMBRANCINHAS NAS PROMOÇÕES” da apostila de “Orientações para o ensino da Palavra às crianças, intermediários e adolescentes”, Edição Agosto 2017, orienta que:

“Algumas igrejas entregam Bíblias para os alunos no dia da promoção. Não há nenhum impedimento quanto a isto, desde que esta ação não seja realizada em público, para que não seja caracterizada como uma premiação; nem deve se tornar uma prática recorrente a cada promoção.

Os professores também poderão dar lembrancinhas que tenham o objetivo de marcar a importância desse dia para os alunos promovidos, desde que, de forma discreta, para que não haja constrangimento entre os demais alunos.”

O item “2.6.5. DIPLOMAS, PREMIAÇÕES, LEMBRANCINHAS NAS PROMOÇÕES” da apostila de “Orientações para o ensino da Palavra às crianças, intermediários e adolescentes”, Edição Agosto 2017, orienta que: A promoção em si é uma grande benção espiritual para as classes e, portanto, é dispensada a distribuição de diplomas ou a realização de quaisquer outras práticas para “premiação” dos alunos.”

O item “2.6.4. AUSÊNCIA DO ALUNO NO DIA DA PROMOÇÃO” da apostila de “Orientações para o ensino da Palavra às crianças, intermediários e adolescentes”, Edição Agosto 2017, orienta que: Caso o aluno não compareça no dia da promoção, ele deve frequentar a nova classe, uma vez que já possui a idade necessária. Caberá à professora dar a ele as boas-vindas à sua nova classe, diante de todos os presentes. O pastor poderá orar por ele com imposição de mãos, na primeira oportunidade, fora do horário do culto.”

Conforme consta do item “2.6.2. ALUNOS QUE SERÃO TRANSFERIDOS” da apostila de “Orientações para o ensino da Palavra às crianças, intermediários e adolescentes”, Edição Agosto 2017:

“Caso o aluno complete a idade para ser promovido no mês seguinte ao da promoção, deverá permanecer na classe que se encontra e aguardar a próxima promoção para mudar de classe. Ex: Um aluno que fez 11 anos em abril, deverá permanecer na classe de intermediários até a próxima promoção, que ocorrerá em agosto, quando será promovido para a classe de adolescentes.

É importante observar que as promoções se realizam unicamente com base na idade do aluno. Não se leva em conta falta ou excesso de desenvolvimento físico, mental ou espiritual de crianças, intermediários e adolescentes. Por isso não se deve insistir em promoções fora da orientação. A obediência às orientações do Senhor também é um aprendizado!”

1.12. Sobre as lembrancinhas e atividades da classe

Conforme consta do item “3.6.10. AS LEMBRANCINHAS” da apostila de “Orientações para o ensino da Palavra às crianças, intermediários e adolescentes”, Edição Agosto 2017:

“A lembrancinha compreende uma recordação do estudo ministrado. Tem a função de permitir que o aluno receba uma identificação do ensino dado para levar para casa. A lembrancinha é elaborada pelas professoras e aborda os aspectos proféticos e de aplicação da aula ministrada.

As professoras devem estar conscientes de que o principal objetivo das lembrancinhas é fazer com que, após o estudo dado, as classes se lembrem do ensino quando verem a lembrancinha. 

Não é recomendável a distribuição de lembrancinhas de forma semanal pois, pode sobrecarregar as professoras, tirando, até mesmo o tempo delas prepararem as aulas e assistirem as classes (o preparo das aulas e a assistência às classes é muito importante para que o trabalho de CIA´s tenha resultado efetivo).

A Comissão de crianças, intermediários e adolescentes disponibiliza, mensalmente, junto com o material, uma sugestão de lembrancinha que fixa o principal ponto do estudo ministrado, porém, a sua confecção é opcional.”

Outras orientações sobre lembrancinhas são encontradas no item acima mencionado.

Conforme consta do item “3.6.10. AS LEMBRANCINHAS” da apostila de “Orientações para o ensino da Palavra às crianças, intermediários e adolescentes”, Edição Agosto 2017: “Não se deve entregar bala como lembrancinha aos alunos, pois não há nenhum significado espiritual ou de aplicação ao ensino dado. Balas podem ser dadas ao aluno, fora do horário da aula, e desvinculado de qualquer atividade espiritual da classe.”

Outras orientações sobre lembrancinhas são encontradas no item acima mencionado.

A Comissão de Doutrina, Fé e Ética disponibiliza uma folha e atividades para se afixar ao caderno de atividades das classes.

Entretanto, as professoras poderão também elaborar materiais, tais como, Palavras Cruzadas, completar textos da Bíblia ou perguntas.

Em todos os casos, é importante observar:

  • Estas atividades não podem comprometer a ministração da aula (mensagem e apresentação dos slides).
  • Não se pode efetuar uma cobrança dos alunos quanto às respostas aos exercícios.
  • Os alunos poderão levar para casa as atividades, porém não devem ser cobrados quanto à execução das mesmas.
  • Não se deve constranger os alunos efetuando comparações, elogios ou insatisfações quanto às respostas dadas.
  • Estas atividades deverão ser avaliadas pelos professores em função do nível intelectual da classe, evitando-se discriminar os alunos, uma vez que nem sempre as classes contam com alunos que preenchem um nível satisfatório de alfabetização. Nestes casos, é melhor não executar estas atividades.

Não se deve dar notas às atividades realizadas pelas classes.

Para ilustrar uma lição, a criança que desejar, pode fazer o desenho de acordo com a aula em sua casa, sem a necessidade de desenhos feitos pelos professores para eles pintarem.

Os desenhos devem ser espontâneos. Essas atividades poderão ser coladas em um caderno para acompanhamento dos pais. Assim, um caderno para os alunos é útil, porque através dele a professora se comunica com os pais.

A apostila apenas orienta quanto a oportunidade de se utilizar cadernos para o acompanhamento das aulas, o que ficará a critério do grupo de professoras com a avaliação do ministério.

A Comissão de Doutrina, Fé e Ética disponibiliza uma folha para as classes crianças e outra para os intermediários e adolescentes, que contém os principais tópicos da aula que poderá ser colado nos cadernos.

Os dedoches são fantoches de dedos e são recursos utilizados para tornar as histórias contadas pelos pais/professores mais divertidas e interessantes. Assim, quando se coloca os animais nos dedoches, a criança automaticamente vai começar a querer que a aranha, o coelho, o gafanhoto ou a formiga possam contar historinhas. Muitas vão imitar a vozinha da aranha ou de qualquer outro dos quatro animais. Porém, sabemos que os animais não falam e nem contam histórias. A criança vai dar maior ênfase para a historinha que a aranha conta do que para a Palavra de Deus, que ficará em segundo plano. Portanto, nesse caso haverá uma operação de engano para desvirtuar a Palavra de Deus no meio das CIA´s.

Os dedoches tratam-se de atividades lúdicas, que têm o objetivo tão somente de divertir as classes. Vamos lembrar que a Palavra de Deus é rica e o nosso objetivo é que o Espírito Santo opere nos corações das CIA´s para que o ensino fique gravado em seus corações. Assim, os dedoches não devem ser utilizados como lembrancinhas e nem pelas professoras no momento da ministração das aulas. A irmã deve orar ao Senhor para que o Senhor revele uma lembrancinha que, quando as classes olharem, vão lembrar do ensino puro da Palavra de Deus, sem alterações ou operações de engano que o mundo quer nos impor.

Os professores devem estar atentos ao item “3.6. RECOMENDAÇÕES AOS PROFESSORES” da apostila de “Orientações para o ensino da Palavra às crianças, intermediários e adolescentes”, Edição Agosto 2017, que diz:

“É preciso lembrar que a forma de abordagem da grande mensagem profética desta última hora dispensa:

  • Os argumentos da razão.
  • As formas convencionais para entretenimento de crianças e adultos, por meio de teatros, gincanas e outras atividades semelhantes, denominadas lúdicas.
  • Os recursos disseminados atualmente pelos diversos meios de comunicação, acerca das várias técnicas de abordagem baseadas em ciências humanas e sociais, ou seja, estudo/conhecimento humano.
  • Vale lembrar que o Senhor Jesus chamou homens simples, muitos deles pescadores, sem instrução, para serem usados com poder em Suas mãos. Logo, não é o estudo/conhecimento humano (pedagogia, psicologia ou qualquer outro curso), que nos fará mais ou menos capazes de realizar a Obra, e sim, a operação do Espírito Santo em nossas vidas, com humildade.

A abordagem desta Obra, para anunciar a profecia da volta de Jesus, sempre foi baseada na operação do Espírito Santo, pois somente Ele pode convencer o homem do pecado, da justiça de Deus e do juízo.”

1 Atividade lúdica: Que se refere a jogos e brinquedos; que visa mais o divertimento que a qualquer outro objetivo.

A Obra do Espirito Santo tem nos dado recursos espirituais, os quais dispensam brincadeiras com o intuito de divertir as classes, bem como apresentações teatrais (fantoches, peças de representação teatral, etc.). Lembramos que as aulas das classes compreendem um culto ao Senhor e para tanto, o temor e a reverência fazem parte do contexto de adoração a Deus. 

As dinâmicas em sala são permitidas, desde que não comprometem o ensino a ser ministrado e que sejam dadas ao término da aula. Os cuidados acima mencionados também deverão ser tomados. A dinâmica consiste em mostrar um exemplo prático, com o objetivo de fixar o ensino da Palavra de forma genuína, sem qualquer desvirtuamento. Também devem trazer exemplos simples e de fácil compreensão para as classes. O exemplo de dinâmica da caixinha de segredos é excelente para que a professora explique para as classes que Deus revela os Seus segredos somente para os Seus servos. Outro exemplo de dinâmica para fixação do ensino é a maquete com a casa escura, onde ninguém enxerga nada, e quando se acende a luz da casa, a verdade é revelada, pois podemos ver tudo que está na casa. Logo após, se traz o exemplo prático que Jesus é a Luz do mundo e Ele nos revela a verdade. Outra opção de dinâmica, é ao final de uma aula que abordou sobre oração, que se faça uma rodinha com as classes e peça que um ore pelo outro. Assim, eles vão aprender na prática, acerca da oração.

Conforme consta do item “3.6.10. AS LEMBRANCINHAS” da apostila de “Orientações para o ensino da Palavra às crianças, intermediários e adolescentes”, Edição Agosto 2017:

“A lembrancinha compreende uma recordação do estudo ministrado. Tem a função de permitir que o aluno receba uma identificação do ensino dado para levar para casa. A lembrancinha é elaborada pelas professoras e aborda os aspectos proféticos e de aplicação da aula ministrada.

As professoras devem estar conscientes de que o principal objetivo das lembrancinhas é fazer com que, após o estudo dado, as classes se lembrem do ensino quando verem a lembrancinha. 

Não é recomendável a distribuição de lembrancinhas de forma semanal pois, pode sobrecarregar as professoras, tirando, até mesmo o tempo delas prepararem as aulas e assistirem as classes (o preparo das aulas e a assistência às classes é muito importante para que o trabalho de CIA´s tenha resultado efetivo).

A Comissão de crianças, intermediários e adolescentes disponibiliza, mensalmente, junto com o material, uma sugestão de lembrancinha que fixa o principal ponto do estudo ministrado, porém, a sua confecção é opcional.”

Outras orientações sobre lembrancinhas são encontradas no item acima mencionado.

Conforme consta do item “3.6.10. AS LEMBRANCINHAS” da apostila de “Orientações para o ensino da Palavra às crianças, intermediários e adolescentes”, Edição Agosto 2017: As lembrancinhas não devem conter imagens de brasões oficiais de órgãos governamentais e nem mesmo se deve utilizar reprodução de documentos oficiais (RG, CPF, Passaporte, etc.) na confecção das mesmas. Assim, as cédulas de identidade não devem ser utilizadas como lembrancinhas.”

Outras orientações sobre lembrancinhas são encontradas no item acima mencionado.

O modelo descrito, que mostra a maquete, um pastor com corpo de pessoa e cabeça de coração vermelho na frente do púlpito, não está de acordo com as orientações da Comissão de crianças, intermediários e adolescentes. A figura do coração vermelho (cheio) e o coração vazio são para retratar personagens bíblicos nominados (Ex: Davi e Saul) e para retratar a situação espiritual da pessoa. Colocar o coração no lugar da cabeça em um corpo, foge completamente ao ensino que tem sido repassado para as classes e pode até confundi-las, pois coração não tem perna, corpo, etc.

Nesse caso, poderia ter sido colocado o rosto no pastor, pois não há nenhum problema em desenharmos a figura de um pastor, desde que, não o identifiquemos por nome. Nunca podemos esquecer que o principal é conservarmos as orientações genuínas da Palavra de Deus.  A bênção do Senhor está em obedecermos e seguirmos as orientações que o Senhor tem dado para a Sua Obra na realização deste trabalho tão nobre e maravilhoso.

1.13. Sobre a decoração das classes

O item “3.6.11.  A ORNAMENTAÇÃO DAS SALAS” da apostila de “Orientações para o ensino da Palavra às crianças, intermediários e adolescentes”, Edição Agosto 2017:

“As salas de aulas poderão ser ornamentadas com cartazes, painéis, murais com temas que fixem ensinos bíblicos para as classes, como por exemplo, temas de Março e Outubro, aprisco com ovelhas com referentes aos nomes dos alunos e datas de aniversário, livros da Bíblia, etc. Em todos os casos, o ministério deve ser consultado sobre a ornamentação a ser colocada nas salas.

Nos cartazes de aniversário deverão ser tomados os seguintes cuidados:

  • Os cartazes de aniversário das classes de crianças e intermediários podem ser feitos junto ou separado.
  • O cartaz da classe de adolescentes sempre deverá ser feito de forma separada.
  • Não deverão ser colocados nos cartazes, balões ou qualquer outra imagem que lembre uma festa de aniversário, pois isso foge ao objetivo da ornamentação das classes.

Nunca deve haver a humanização de figuras e animais tais como sol, nuvem, árvores. Exemplo: sol, nuvem com olhinho e boquinha; borboleta sorrindo, etc.

Nunca se deve colocar personagens de quadrinhos na ornamentação das salas, ainda que sejam personagens utilizados no meio evangélico. Ex: Smilinguido.

Deve-se evitar fazer mudanças semanais nos murais, pois isso toma muito o tempo das irmãs. Vamos lembrar que o principal é que as irmãs tenham tempo para preparar as aulas e assistir suas classes, anotando os nomes dos alunos faltantes, enfermos, dando assistência aos alunos, etc.

Não necessitamos lançar mão de recursos ou ilustrações disponibilizadas na internet para adornar a sala de aula. A sala de aula poderá ser ornamentada com cartazes referentes aos próprios temas das aulas (como por exemplo: As quatro coisas das mais sábias (mostrando os quatro animais), aprisco com ovelhas referentes aos nomes dos alunos, temas dos meses de Março e Outubro, etc.). De qualquer forma, o ministério deve ser consultado sobre a ornamentação a ser colocada nas salas.

O item “3.6.11.  A ORNAMENTAÇÃO DAS SALAS” da apostila de “Orientações para o ensino da Palavra às crianças, intermediários e adolescentes”, Edição Agosto 2017:

“As salas de aulas poderão ser ornamentadas com cartazes, painéis, murais com temas que fixem ensinos bíblicos para as classes, como por exemplo, temas de Março e Outubro, aprisco com ovelhas com referentes aos nomes dos alunos e datas de aniversário, livros da Bíblia, etc. Em todos os casos, o ministério deve ser consultado sobre a ornamentação a ser colocada nas salas.

...

Nunca deve haver a humanização de figuras e animais tais como sol, nuvem, árvores. Exemplo: sol, nuvem com olhinho e boquinha; borboleta sorrindo, etc.

Nunca se deve colocar personagens de quadrinhos na ornamentação das salas, ainda que sejam personagens utilizados no meio evangélico. Ex: Smilinguido.

1.14. Sobre os seminários de março e evangelizações de outubro

Não há nenhuma alteração quanto aos seminários de março e de outubro. Quaisquer alterações ou novas orientações sobre seminários de março e evangelizações de outubro serão disponibilizadas por meio de circular, a ser expedida pela Comissão de Doutrina, Fé e Ética, com a antecedência necessária para que todos possam cumprir todas as orientações.

1.15. Sobre o apoio à realização do trabalho

A Rádio Maanaim exibe um programa específico semanal para o esclarecimento das lições da semana aos professores. O programa se chama “Encontro com Professores” e entra no ar todas as segundas-feiras, às 15h20, com reprise aos sábados às 11h20 (horário de Brasília).

Não. O programa continuará sendo exibido no horário definido pela Rádio Maanaim para o esclarecimento das lições da semana aos professores, no quadro “Encontro com Professores”.

As coletâneas em formato de projeção com animação e sem animação, bem como a apostila de gestos em gravuras, estão disponíveis no site de CIA´s, no endereço http://sites.institutoicm.org.br/cias/. Basta clicar na aba LOUVOR e baixar os arquivos.

1.16. Sobre as dúvidas quanto ao trabalho

O professor poderá tirar suas dúvidas na apostila de CIA´s disponibilizada pela comissão. É muito importante que todos os professores leiam com atenção toda a apostila antes de enviar qualquer pergunta.

Caso a apostila não tenha a resposta para a dúvida, o professor poderá procurar o diácono responsável pelo trabalho de crianças, intermediários e adolescentes de sua igreja, ou seu pastor, para os esclarecimentos necessários.

O professor também poderá enviar sua dúvida para o seguinte e-mail: comissaodedoutrina@presbiterio.org.br.

Sim. A Comissão de Doutrina, Fé e Ética disponibiliza um canal de consulta por meio do e-mail comissaodedoutrina@presbiterio.org.br.

TOPO